Finasterida causa depressão? O que dizem os estudos?

Todo medicamento pode causar uma lista de efeitos colaterais.

Isso acontece porque tais remédios mudam a dinâmica de funcionamento do nosso organismo que, por sua vez, não estava esperando a “visita” de uma nova substância.

Esses sinais costumam desaparecer ao longo do tempo bem como após a interrupção do tratamento prescrito pelo médico.

Apesar disso, alguns pacientes ainda ficam receosos ao usarem remédios específicos, como a Finasterida.

Assim, questionamentos do tipo podem surgir:

  • Quais são os principais efeitos colaterais da Finasterida?
  • Será que a Finasterida causa depressão de fato?

Sabendo que são dúvidas importantes, hoje, nós vamos abordar mais sobre esse assunto.

Quer saber mais? Acompanha a leitura deste artigo!

Finastetida causa impotência? Mito ou Verdade?

Para que serve Finasterida?

Finasterida é um medicamento que pode ser encontrado em duas dosagens: a de 1 miligrama que é prescrita, principalmente, para homens que sofrem com a calvície padrão masculino.

A de 5 miligramas é para pacientes em tratamento da hiperplasia prostática benigna (HPB).

Efeitos Colaterais da Finasterida

A Finasterida costuma ser bem tolerada pelos pacientes. Apesar disso, existe a possibilidade de homens sentirem determinados efeitos colaterais.

Nesse caso, é importante que tais reações adversas podem ser distintas em concentrações diferentes.

Como estamos falando sobre a calvície – ou alopecia androgenética, como também é chamada, vamos focar no risco de efeitos colaterais da Finasterida em pacientes que consomem 1mg.

Assim, os principais sintomas relatados estão relacionados ao desempenho sexual do homem:

  • Diminuição da libido
  • Disfunção erétil

Essas reações relatadas estão na Bula online da Finasterida que, por sua vez, está disponível no site Consulta Remédios.

Pode-se perceber também que, apesar do risco desses sinais, tais efeitos colaterais foram relatados, respectivamente, por apenas 1,8% e 1,3% dos homens.

Tais reações adversas citadas também costumam aparecer de forma leve e, por isso, não resultam na descontinuação do tratamento.

Além desses sintomas, outros efeitos colaterais foram relatados após a comercialização da Finasterida. Estes, por sua vez, são:

  • Reações de hipersensibilidade (como angioedema, erupção cutânea, edema nos lábios, língua, garganta e face, prurido e urticária)
  • Depressão
  • Diminuição da libido que continua mesmo APÓS a interrupção do tratamento
  • Disfunção sexual que continua APÓS descontinuação do tratamento
  • Sensibilidade e aumento das mamas
  • Dor testicular
  • Infertilidade
  • Baixa qualidade do sêmen

Diante dessa lista de distintos e diversos efeitos colaterais da Finasterida, muitos pacientes ficam meio receosos em começar um tratamento que, por sua vez, pode causar determinados danos à saúde física, mental e sexual.

Mas será que esses riscos são iguais para todos?

Efeitos colaterais da Finasterida: quem pode sentir?

Não é possível afirmar com todas as letras quem são as pessoas que podem ou não sentir os respectivos efeitos colaterais da Finasterida e sabe por quê?

Porque, apesar de ser para tratar a calvície, a substância pode agir de maneiras diferentes no organismo de cada um.

Dessa maneira, não é à toa que alguns pacientes sentem e percebem determinadas mudanças corporais provenientes destas reações enquanto que outros não notam nenhuma diferença.

Sabendo disso, pode-se dizer que não é certo que você terá efeitos colaterais da Finasterida.

No entanto, existe a possibilidade de acontecer. Por isso, então, é importante ficar atento aos possíveis sinais para, assim, relatar ao médico e suspender a medicação, caso precise.

Finasterida causa depressão: verdade ou mito?

Além do risco da Finasterida interferir na vida sexual, alguns pacientes também ficam receosos em relação a esse fármaco por conta da possibilidade de gerar danos psicológicos, como o desenvolvimento da depressão.

Mas será que isso é, de fato, verdade ou apenas um mito?

Bom, até então, temos indícios científicos de que Finasterida depressão não é uma mentira.

O primeiro deles está diante da leitura da bula do fármaco, como mostrarmos anteriormente.

Além disso, determinados estudos já foram feitos acerca da eventual possibilidade.

Uma das pesquisas analisou a relação entre Finasterida e suicídio e eventos adversos psicológicos e chegou à conclusão que o medicamento pode estar diretamente atrelado a esses transtornos, principalmente, em pacientes com menos de 45 anos de idade.

Outro estudo analisou o risco de depressão associado ao tratamento com Finasterida.

A conclusão foi que “os resultados suportam uma impressão crescente de que a Finasterida está associada a efeitos psiquiátricos adversos”.

Apesar dessas evidências, outras analises de casos e estudos devem ser realizadas para afirmarmos que a Finasterida causa depressão.

Posso continuar tomando Finasterida?

Após todas essas considerações, você deve estar se perguntando se a Finasterida é, seriamente, segura e se você pode continuar tomando-a.

Bom, fique tranquilo em relação à isso já que nem todos os pacientes serão acometidos por algum efeito colateral do fármaco em questão.

Entretanto, salientamos que a decisão de parar – ou não – o consumo de um medicamento deve ter o aval de um profissional visto que o desmame muitas vezes é um processo necessário e que precisa de orientação.

Por isso, converse com um médico.

Você já usou Finasterida?

Se sim, sentiu algum efeito colateral?

 Fontes: [1] [2] [3]

Finasterida e ginecomastia masculina: preciso parar de tomar?

Escreva sua pergunta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.