Finasterida tópica e seus efeitos colaterais

Com certeza você já conheceu ou conhece alguém que sofre de calvície.

Pois é, esse é um problema que afeta mais de 42 milhões de homens e mulheres no Brasil. Bastante gente, não?

A calvície é o processo da queda de cabelo estimulada pelo hormônio masculino testosterona, sendo então mais comuns em homens.

Mas não se engane. As mulheres ficam mais propícias a este processo durante a gravidez e no pós-parto.

Ligada à genética, a alopecia é um processo que precisa de tratamento constante já que os folículos pilosos não se regeneram.

Um dos tratamentos para esse problema é o uso de Finasterida.

Este medicamento foi criado para combater o câncer de próstata, mas, atualmente, é usado para tratar o problema de calvície quando acarretado por causas hormonais ou genéticas.

Apesar de ser um tratamento conhecido e famoso, muitas pessoas desconhecem o funcionamento e os impactos que a Finasterida traz ao corpo humano.

Quer saber mais? Então vem com a gente!

Como funciona a finasterida?

YouTube/Lorelay Fox

Antes de entender como funciona a Finasterida no organismo, é necessário compreender o motivo pelo qual a calvície acontece. Então, vamos lá.

O fio de cabelo é originado no folículo piloso.

Este, por sua vez, é uma estrutura complexa que é responsável pela produção e crescimento do pelo.

No couro cabeludo, a testosterona é convertida no andrógeno DHT por causa da presença da enzima 5a-redutase.

Isso faz com que os fios morram, passando pela miniaturização que consiste no fio encurtar, afinar e clarear.

Após este processo, o fio deixa de nascer já que o folículo piloso não se regenera.

Assim, inicia-se o problema de calvície.

Para tratá-lo, a Finasterida é um dos remédios mais indicados.

A medicação age inibindo a produção da enzima 5-alfa-redutase localizada no couro cabeludo.

Dessa maneira, o medicamento evita a transformação da testosterona em di-hidrotestosterona.

Quando usada, a medicação Finasterida reduz os níveis de DHT.

Assim, ele não é mais produzido na mesma proporção.

Consequentemente, não há o enfraquecimento dos fios e nem a perda deles.

Finasterida: uso tópico x uso oral

Com a evolução da medicina e das análises clínicos, os estudos que buscam por terapias iguais ou até mais eficientes cresceu bastante.

Porém, o que se tenta avaliar, hoje, é se há métodos menos invasivos e que deixem menos efeitos colaterais no organismo humano.

Esse é o caso da via tópica de medicações.

Teoricamente, esse método é menos agressivo já que os remédios não entram em contato direto com a corrente sanguínea.

E é aí que entra o caso da Finasterida tópica.

Segundo testes iniciais feitos pela empresa suíça Polichem, o uso oral da Finasterida reduziu em torno de 70% os níveis do hormônio DHT no sangue.

Isso comparado com a medicação uso oral ministrado em 1mg.

Esta dose é a indicada para tratar a alopecia.

Essa redução é fundamental para a não progressão da calvície já que esse hormônio é o responsável pelo encurtamento e afinamento dos fios.

Além de mostrar impactos positivos na redução do DHT, o estudo feito sobre a Finasterida tópica também mostrou resultados relevantes na questão da baixa absorção sistêmica.

Segundo resultados, a concentração da medicação chegou a ser quase indetectável no corpo.

Nesse estudo, foram avaliados cerca de 300 homens entre 18 e 40 anos.

Os testes foram feitos em 2016 a 2018 em cinco países: Alemanha, Bélgica, Espanha, Hungria e Rússia.

Embora os resultados da pesquisa ainda não tenham sido publicados em revistas cientificas sobre o assunto, a empresa responsável tinha uma previsão de que, ano passado, a Finasterida tópica começasse a ser comercializada.

Mulheres podem usar Finasterida tópica?

Embora não esteja descrita na bula do remédio, as mulheres podem utilizar a Finasterida tópica.

Como os níveis de testosterona entre elas e os homens são diferentes, é normal que o tratamento seja ministrado em diferentes doses.

Além disso, é importante frisar que mulheres grávidas, tentantes ou que desejam engravidar não faça uso do medicamento.

Não é recomendado, pois há riscos de lesões ao feto.

Por isso, é necessário que haja o acompanhamento médico.

Efeitos Colaterais da Finasterida tópica

Como qualquer outro medicamento, a Finasterida pode causar efeitos colaterais.

Tanto no uso oral quanto no uso tópico.

O mais temido, nos homens, é a diminuição da libido e a dificuldade em ter e manter ereções.

Já nas mulheres, efeitos colaterais ainda não foram constatados.

No entanto, assim como o tratamento com Minoxidil tópico, existe a possibilidade de irritações no couro cabeludo como, além de coceira e vermelhidão.

Apesar disso, é importante frisar que a incidência dos impactos no corpo humano após usar o medicamento é considerada baixa.

No entanto, ressalto aqui que, se você se interessou ou conhece alguém que está pensando em iniciar o tratamento, é necessário ter o acompanhamento que entenda do assunto.

Gostou desse artigo?

Tem mais alguma dúvida?

Já fez ou conhece alguém que já fez o tratamento com Finasterida?

Conta pra gente aí nos comentários!

Fontes:

Calvície afeta mais de 42 milhões de homens e mulheres no Brasil

Finasterida tópica para tratamento da calvície

Escreva sua pergunta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.