Novo tratamento para calvície? Será mesmo? Conheça a Astaxantina!

A calvície caracteriza-se pela queda capilar decorrente de alterações hormonais.

Embora não seja um quadro fatal, a calvície bastante a autoestima.

Sendo assim, buscar tratamento é uma chance de reconstruir essa confiança de si.

Nesse caso, a Finasterida é uma das intervenções mais tradicionais.

No entanto, já há estudos sobre o papel da Astaxantina para tratar a calvície.

Será que isso é verdade?

Quer saber mais sobre esse assunto? Então, acompanha a leitura deste artigo!

Foligain Inibidor de DHT funciona contra queda capilar: vale a pena?

Finasterida

O que é?

Finasterida é um medicamento que pode ser encontrado em duas dosagens: a de 1 mg e de 5 mg.

Essa diferença faz com que esse fármaco seja prescrito e indicado para dois tipos de problemas distintos: um é a calvície e o outro é a hiperplasia prostática benigna.

A Finasterida de 5 mg é recomendada para tratamento e controle da HPB bem como para prevenir outros eventos urológicos.

Assim, reduz e, até, evita-se o risco de retenção urinária aguda bem como diminui a probabilidade de realizações de procedimentos cirúrgicos.

Apesar de ser importante saber essa diferenciação, a Finasterida que nos importa quando falamos de calvície é a de 1 mg.

Essa dosagem é ideal para tratar homens com alopecia androgenética já que aumenta o crescimento e previne a queda adicional do cabelo.

Esse medicamento não é indicado para pacientes que têm hipersensibilidade a qualquer componente da fórmula.

Além disso, não recomenda-se Finasterida para pessoas do gênero feminino bem como o medicamento é proibido para crianças.

Efeitos colaterais da Finasterida

Finasterida é um medicamento que costuma ser bem tolerado entre os pacientes.

Entretanto, isso não anula a possibilidade de provocar efeitos adversos que, geralmente, são leves e, por isso, não resultam na descontinuação do tratamento.

Assim, as principais reações relatadas estão relacionadas ao desempenho sexual dos homens (diminuição da libido e disfunção erétil).

Apesar de serem os mais comuns, esses efeitos colaterais afetam, respectivamente, 1,8% e 1,3% dos pacientes que usam Finasterida.

Já que há a possibilidade dessas reações acontecerem, determinados homens ficam receosos de começar um tratamento com esse fármaco.

Por isso, muitos deles recorrem a outras opções e ficam atentos ao menor sinal de outra novidade de intervenção, como o uso de Astaxantina.

Astaxantina

O que é Astaxantina?

A Astaxantina é um caratenóide que, por sua vez, consiste-se em ser uma espécie de pigmento.

Essa substância é comumente encontrada em microalgas (Haematococcus pluvialis) e na levedura (Phaffia rhodozyma) bem como em animais aquáticos, como lagosta, siri e camarão.

Além desses seres, a Astaxantina também pode ser encontrada nos resíduos de processamento de camarão que são, por sua vez, geralmente, descartados.

Para que serve Astaxantina?

A Astaxantina é um corante que vai além de proporcionar coloração de diversos organismos vivos sejam estes vegetais ou animais: esse pigmento também oferece proteção contra radicais livres bem como protege contra os efeitos da luz ultra violeta nas membranas celular e tecidos.

Além desses feitos positivos, determinados estudos comprovam que a Astaxantina conta com propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias.

Esses efeitos dão suporte para demonstrar uma importância em determinadas funções biológicas relacionadas à peroxidação lipídica.

Diante dessas considerações, é possível dizer que a Astaxantina é pigmento bem importante para tratar algumas condições clinicas e para a manutenção da saúde do organismo.

Benefícios da Astaxantina

A Astaxantina é uma protagonista de muitos estudos científicos que analisam e comprovam – ou não – a veracidade dos benefícios do corante em questão.

Por ser um pigmento, a substância é responsável pela coloração de organismos vivos, como já citamos, mas suas funções vão além.

Muitas pesquisas realizadas que estão disponíveis na Internet garantem que a Astaxantina seja, de fato, uma substância benéfica à nossa saúde.

Nesse caso, os feitos positivos do corante são:

  • Prevenção e co-tratamento de enfermidades (como demência, Alzheimer, Parkinson, doenças cardiovasculares e câncer)
  • Promoção na saúde da pele deixando-a mais suave e macia
  • Prevenção do fotoenvelhecimento cutâneo
  • Proporciona saúde dos olhos
  • Trata doenças oculares (como catarata, glaucoma e uveíte)

Mas, para além desses benefícios, a Astaxantina para cabelo é uma boa ideia? Será que ela pode, de fato, atuar contra a queda capilar e/ou tratar a alopecia androgenética (calvície)?

Astanxantina para calvície: funciona ou não?

A calvície é um problema que origina-se da ação de dois hormônios masculinos: a testosterona e a di-hidrotestosterona.

Acontece que em um quadro de queda capilar, o primeiro andrógeno é convertido, por meio da enzima 5-alfa-redutase, em DHT.

Isso faz com que os fios de cabelo tornem-se mais fracos, quebradiços, finos e, por fim, caiam.

Então, é importante parar a ação da enzima que, consequentemente, não conseguirá transformar testosterona em di-hidrotestosterona. Assim, a queda de cabelo é interrompida.

Nesse cenário, uma das pesquisas que encontramos investiga uma possível ação da Astaxantina combinado com extrato de Saw Palmetto para bloquear a ação da 5-alfa-redutase.

Esse estudo, de fato, comprovou que baixos níveis de carotenoide Astaxantina inibiam a enzima.

No entanto, é importante ressaltar que esse estudo é relacionado diretamente à questão da hiperplasia benigna prostática.

Então, não sabemos se esse feito da Astaxantina também pode tratar a calvície. Nesse caso, acreditamos que mais estudos serão feitos sobre o assunto.

Qual é melhor: Finasterida ou Astaxantina para queda capilar?

Apesar da Astaxantina proporcionar muitos benefícios, ainda não temos uma evidência cientifica de que ela pode atuar diretamente contra a queda capilar.

Por isso, até então, a Finasterida é mais eficaz para tratar a calvície desde que haja orientação médica.

Já tinha ouvido falar em Astaxantina?

Acredita que ela pode contribuir para o tratamento da calvície?

Ozonioterapia capilar: o que é? Acaba com a calvície?

Fontes: [1] [2] [3] [4]

Escreva sua pergunta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.