Posso usar Finasterida para tratar calvície precoce?

Conhecida pelo nome popular de calvície, a alopecia androgenética é mais comum em homens que estão por volta dos 40 ou 50 anos.

No entanto, não é só esse grupo que é atingido por esse problema: há casos em que homens mais jovens também sofrem com essa condição.

E, essa situação, de fato, não é fácil. A queda de cabelo impacta diretamente na autoestima de qualquer pessoa.

Isso porque, além do senso estético, os fios uma maneira de mostrarmos a nossa personalidade e como queremos ser vistos.

No meio disso tudo, há uma notícia boa: quanto mais cedo se tem o diagnóstico de alopecia androgenética, mais cedo o tratamento é iniciado.

Dessa maneira, pode-se evitar a queda definitiva dos fios.

Normalmente, para tratar calvície, um dos métodos mais eficazes e utilizados é o uso de medicamentos, como a Finasterida.

Será que, nos casos precoces, esse remédio também faz efeito?

Ele gera algum efeito colateral?

Existe alguma idade mínima para tomar Finasterida?

Se quiser saber mais sobre o assunto, acompanha a leitura!

Finasterida: posso trocar de marca durante o tratamento?

Calvície precoce

Assim como a “tradicional”, a calvície precoce também tem origens genéticas e hormonais.

A principal causa dessa condição é a ação da di-hidrotestosterona (DHT) e da testosterona.

Aliás, os níveis desses hormônios são maiores no organismo masculino.

Por isso, a alopecia androgenética é mais comum em homens do que em mulheres.

Independente do gênero e da faixa etária, a calvície surge da mesma forma.  E sabe como?

No couro cabelo, a testosterona é convertida em DHT.

Esse processo acontece por causa da presença da enzima 5-alfa-redutase.

A partir dessa atividade, há o encurtamento, o afinamento e o clareamento dos fios.

Consequentemente, eles “morrem” e caem.

Após isso acontecer, o fio não nasce mais.

Isso acontece justamente porque o folículo piloso, o principal responsável pela produção e crescimento do pelo, não consegue se regenerar.

É dessa maneira que o problema da calvície começa e, ao longo do tempo, evolui.

Para que serve a Finasterida?

A Finasterida é um medicamento conhecido.

O comprimido de 5 mg, normalmente, é indicado para o tratamento e controle da hiperplasia prostática benigna (HPB) e para reduzir risco de retenção urinária.

Já o comprimido de 1 mg é recomendado para quadros de alopecia androgenética.

Nesse caso, esse remédio age como um inibidor, isto é, ele é o principal responsável por bloquear a ação da enzima 5-alfa-redutase, que fica no couro cabeludo.

Dessa forma, a Finasterida evita a transformação da testosterona em di-hidrotestosterona que deixa de ser produzido na mesma quantidade.

Como consequência, os fios de cabelo não sofrem mais afinamento, encurtamento, clareamento e não caem.

Geralmente, esse medicamento é bem tolerado, porém, assim como qualquer outro, reações e efeitos colaterais podem acontecer.

Os mais temidos pelos homens são a disfunção sexual, a diminuição da libido e a diminuição do volume ejaculado.

No entanto, os três efeitos adversos citados atingem menos de 2% dos pacientes que fazem uso dessa medicação.

Além desses, após a comercialização, alguns outros efeitos foram relatados: depressão e reações de hipersensibilidade tais como erupção cutânea, prurido, urticária e angioedema.

Por isso, a Finasterida é contraindicada para mulheres, crianças e qualquer pessoas que seja mais sensível a algum componente composto na fórmula.

Qual é a melhor marca de finasterida?

Antes e depois da Finasterida

A Finasterida é considerada, por muitos, o melhor medicamento para os casos de calvície.

E isso não é à toa: geralmente, quem faz uso desse remédio consegue ter resultados satisfatórios quando o assunto é crescimento capilar.

Isso é ótimo para ajudar a reconstruir e fortalecer a autoestima do homem que foi impactado pelo problema da alopecia androgenética.

Confira alguns antes e depois da Finasterida:

Finasterida aumenta massa muscular?

Existe idade mínima para tomar Finasterida?

Como dito anteriormente, normalmente, a alopecia androgenética começa a ficar aparentemente por volta dos 40 a 50 anos.

No caso da calvície precoce, a manifestação da queda capilar é percebida em jovens na faixa etária dos 20 a 25 anos.

Cerca de 25% desse público masculino é atingido pelo problema da alopecia androgenética.

Essa estimativa foi concluída após uma pesquisa de 2018 da Sociedade Brasileira de Cabelo (CSBC).

No entanto, essa condição não acontece de um dia para o outro.

Geralmente, tanto em homens quanto em mulheres com predisposição, a calvície se torna ativa a partir da adolescência.

Por conta disso, não existe uma necessidade de tratamento durante essa fase e, em muitos casos, não é pensado em uma prevenção.

Além disso, esse medicamento não é indicado para pessoas abaixo de 18 anos.

Sendo assim, nada de Finasterida para adolescente.

De qualquer forma, durante todo o processo de diagnóstico e tratamento, é importante ter um acompanhamento médico para te auxiliar na dosagem correta e sanar todas as suas dúvidas.

A automedicação é proibida e perigosa. Então, não faça.

E aí, gostou do nosso artigo?

Sofre de calvície precoce?

Já utilizou a Finasterida?

Conta como foi sua experiência com esse medicamento!

Finasterida ou Minoxidil? Qual é melhor?

Fontes: [1]

Escreva sua pergunta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.